Atiradas para o chão “sete mil beatas” por minuto. O que fazer na praia?

Com a Lei n.º 88/2019, tornou-se “proibido o descarte em espaço público de pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco.”

© iStock

“Plantar cigarros? Não vale a pena”. É este o mote da primeira das ‘Dicas de Verão’ que a Guarda Nacional Republicana (GNR) publicou no Facebook, este sábado. A intenção é chamar a atenção dos portugueses para os cuidados que é necessário ter nomeadamente com as beatas durante os dias de praia. 

E lança duas questões: “Quem é que nunca viu beatas plantadas na areia da praia? Sabia que, em Portugal, estima-se que sejam atiradas para o chão cerca de sete mil beatas a cada minuto?”

Em seguida, os militares explicam que, “com a entrada em vigor da Lei n.º 88/2019, de 3 de setembro”, tornou-se “proibido o descarte em espaço público de pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco.”

Não sabe o que lhes deve fazer? A GNR também assegurou essa explicação. “As pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco são equiparadas a resíduos sólidos urbanos e, por isso, não devem ser atirados para as nossas praias” – devem ser deitadas no lixo. 

No mesmo post, a autoridade ressalva que “pretende sensibilizar os consumidores para o destino responsável dos resíduos de tabaco, nomeadamente, pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros”, assim como para o “impacto ambiental da sua deposição no meio ambiente, no meio marinho e na rede de esgotos”.

Leia na íntegra a Lei n.º 88/2019 acerca da ‘Redução do impacto das pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros no meio ambiente’.

© Guarda Nacional Republicana (GNR)

Fonte: Noticias ao Minuto