Intensificação da testagem e do histórico de contactos em Lisboa e Vale do Tejo

O Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, afirmou que vai ser feito uma intensificação da testagem e do histórico de contactos com casos positivos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Diogo Serra Lopes

Em Vila Franca de Xira, na cerimónia que assinalou a transição da gestão clínica privada para o Estado, o Secretário de Estado afirmou que «o que se vai fazer é reforçar de alguma maneira os mecanismos que já existem, de forma a conseguir testar mais gente e ir um pouco mais longe nos elos de ligação entre pessoas confirmadas com Covid-19 ou que tenham estado em contacto com uma pessoa que foi confirmada como Covid-19. 


«Sabemos bem da experiência que já acumulámos que cortar a transmissão é absolutamente essencial», acrescentou, referindo que a Área Metropolitana de Lisboa já viveu uma situação epidemiológica similar no início do último verão e não descartou um eventual recuo da região nas respetivas regras de desconfinamento.


«São múltiplos os fatores que têm estado a explicar este aumento de casos em Lisboa e Vale do Tejo, mas já tivemos uma situação relativamente semelhante em junho e julho de 2020. Os mecanismos nessa altura foram implementados e hoje estão bastante mais agilizados», disse.


Diogo Serras Lopes realçou também que «as regras são claras» e, se necessário, é possível que os concelhos se dirijam para regras mais restritas de acordo com o número de casos por 100 mil habitantes a 14 dias.


O Secretário de Estado disse ainda que a intensificação da testagem vai seguir o mesmo modelo de anteriores abordagens, «com testes PCR, testes rápidos e a aplicação de testes tanto setorialmente – onde os surtos sejam efetivamente setoriais – como em contextos familiares ou de bairro».

«Será feito o número de testes que for necessário para analisar todas as suspeitas de casos Covid-19 ou de pessoas que possam ter tido contacto com casos positivos de Covid-19», afirmou.


Tags:saúdecoronavírus

Áreas:Saúde