Conselho da União Europeia aprova conclusões sobre equidade e inclusão na educação

Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, no Conselho de Educação, Juventude, Cultura e Desporto, Bruxelas, 17 maio 2021

O Conselho da União Europeia aprovou conclusões relativas à equidade e à inclusão na educação, com o objetivo de promover o sucesso educativo de todos os estudantes. 

Na conferência de imprensa após a primeira sessão do Conselho de Educação, Juventude, Cultura e Desporto, a decorrer em Bruxelas, o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirmou que «o contexto socioeconómico dos nossos cidadãos continua a ser um fator preponderante, nos resultados escolares, dificultando muitas vezes a aquisição de competências e limitando também a mobilidade social».  

Sublinhando que a «equidade e a inclusão» são «princípios básicos que os sistemas educativos tendem e tentam alcançar», Tiago Brandão Rodrigues afirmou que esses dois aspetos «continuam a ser um enorme desafio» para os sistemas educativos europeus, dadas as «diferenças significativas» tanto entre como dentro dos Estados-membros: «Os nossos sistemas de educação e de formação, que têm de ser necessariamente inclusivos, têm um papel fundamental a desempenhar para aumentar o aproveitamento escolar, para aumentar os níveis de competências dos nossos cidadãos», frisou. 

O Ministro disse ainda que é «necessário» e «fundamental» ver o «espetro da educação numa abordagem que possa envolver toda a comunidade escolar para melhorar a igualdade de oportunidades, a inclusão e poder promover o sucesso educativo em todos os níveis de educação e em todas as vias existentes». 

O papel das universidades O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, por sua vez, abordou as conclusões relativas a esta iniciativa para sublinhar que a «Europa e o mundo estão a viver tempos sem precedentes» e que as universidades têm um papel importante a desempenhar: «O papel da educação e da formação e, em particular, do ensino superior, é o de transformar as nossas sociedades.

E irão transformar cada vez mais as nossas sociedades, nomeadamente em articulação estreita com a investigação e a inovação, e é essa triangulação que se tornou na questão central para o desenvolvimento de alianças entre universidades de ensino superior», disse. 

No Conselho foram ainda adotadas conclusões relativas à iniciativa Universidades Europeias, que visa criar alianças entre estabelecimentos de ensino superior para fazer com que estudantes, investigadores e pessoal do ensino superior possam «deslocar-se livremente entre instituições parceiras para treinar, ensinar e investigar».

Tags:igualdadeinclusão socialescolasuniversidade

Áreas:Ciência, Tecnologia e Ensino SuperiorEducação