Haiti devastado por terramoto: número de mortos sobe para 1300

Cena de destrui͋o apos o terremoto no bairro de Bel Air centro de Porto Principe – Haiti – 15/01/2010 – FOTO JONNE RORIZ/AE

O poderoso terremoto no Haiti no sábado deixou cerca de 1.300 mortos e 5.700 feridos.

O poderoso terremoto no Haiti no sábado deixou cerca de 1.300 mortos e 5.700 feridos, deixando milhares desabrigados no sudoeste do país ou em busca de parentes desaparecidos ou presos sob os escombros. Enquanto passavam por terremotos de magnitude 7,2, os residentes e trabalhadores humanitários estavam ocupados no domingo com recursos limitados para encontrar sobreviventes. Uma série de máquinas pesadas, caminhões e retroescavadeiras transportaram lajes de concreto de prédios destruídos na cidade de Les Cayes, perto do epicentro do terremoto, a cerca de 160 km da capital haitiana, Porto Príncipe, observou a AFP. O terremoto atingiu o sudoeste do Haiti às 8h29 (12h29 GMT) no sábado. A proteção civil haitiana anunciou no domingo à noite um número de 1.297 mortos. Quase 30.000 casas foram destruídas ou danificadas.

Do edifício de dois andares de Marcel François em Les Cayes, apenas ruínas permanecem. É graças ao seu telefone “que estou vivo porque pude contar às pessoas de fora onde me encontrava”, conta à AFP o homem de 30 anos. Seu irmão mais novo, Jó, ajudado por vizinhos, passou mais de três horas puxando-o para fora dos escombros, com nada além da força de seus braços. “Eu estava no ônibus para ir trabalhar quando ocorreu o terremoto. Consegui falar com o Marcel pelo telefone, mas ele me disse + venha me salvar, estou sob o concreto +”, testemunha Job François.Ferido na cabeça, Marcel François foi imediatamente transportado para o hospital após ser retirado de uma pilha de blocos de concreto, em estado de choque porque sem notícias de sua filha de 10 meses, presa sob as ruínas. “Achei que meu filho estava morto. Eu estava chorando quando cheguei ao hospital, estava resignado”, diz emocionado aos 30 e poucos anos. Graças à ação conjunta dos habitantes e de seu tio, a pequena Ruth Marlee Alliyah François foi retirada de casa, quatro horas após o terremoto.

Ajuda prejudicada
Esforços de socorro para As vítimas de socorro, no entanto, podem ser prejudicadas à medida que a Depressão Tropical se aproxima de Grace, com risco de chuvas torrenciais e enchentes rápidas, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos. É esperado durante a noite de segunda a terça-feira e o país foi colocado em vigilância reforçada. Pessoal e medicamentos já foram enviados pelo Ministério da Saúde para o sudoeste da península, mas a logística de emergência também está prejudicada pela insegurança que assola o Haiti há meses. Em pouco mais de dois quilômetros, a única estrada que liga a capital à metade sul do país atravessa o bairro pobre de Martissant sob o controle de gangues armadas desde o início de junho, impedindo a livre circulação.

Os poucos hospitais nas regiões afetadas estão lutando para fornecer atendimento de emergência. Muitos países, incluindo Estados Unidos, República Dominicana, México e Equador, ofereceram assistência com o envio de pessoal, rações de emergência e equipamentos médicos.O Exército americano anunciou segunda-feira a constituição de uma missão militar conjunta, com o destacamento já realizado de uma equipa encarregada de avaliar a situação nas zonas afectadas graças a meios de observação aérea. Quatro helicópteros também foram mobilizados para transporte. O primeiro-ministro Ariel Henry, que declarou estado de emergência por um mês nos quatro departamentos afetados pelo desastre, agradeceu à comunidade internacional no domingo.

“Queremos dar uma resposta mais apropriada do que após o terramoto em 2010. Todas as ajudas do exterior devem ser coordenadas pela Direcção da Protecção Civil ”, exigiu o chefe do governo, apelando aos seus concidadãos à“ unidade nacional ”. “Vamos esquecer nossas brigas”, pediu Henry, que chefia o país mais pobre das Américas, em meio a uma crise desde o assassinato do presidente Jovenel Moïse em 7 de julho. O terremoto de magnitude 7,0 de 12 de janeiro de 2010 devastou a capital e várias cidades do interior. Mais de 200.000 pessoas morreram e mais de 300.000 ficaram feridas no desastre, enquanto mais de 1,5 milhão de haitianos ficaram desabrigados.

Fonte: Le Figaro/La Rédaction avec AFP