OE2022: Programa de redução tarifária nos transportes públicos com menos 60 ME

Image Google

O Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) nos transportes públicos tem um financiamento base este ano de 138,6 milhões de euros (ME), menos 60 milhões do que em 2021, segundo a proposta de Orçamento do Estado (OE2022).

O Governo mantém, assim, a mesma verba que constava da proposta de OE2022 entregue em outubro do ano passado e posteriormente chumbada na Assembleia da República.

De acordo com o documento entregue hoje no parlamento, o financiamento do PART nos transportes públicos é feito este ano com o valor de 138.600.000 euros, através da consignação de receitas ao Fundo Ambiental.

No entanto, ao valor base podem ser acrescidos 130 milhões de euros, “tendo em conta um cenário mais adverso dos efeitos da crise pandémica no sistema de mobilidade e a verificação de uma queda de receita das empresas em resultado direto da pandemia” de covid-19, sendo o montante a transferir apurado trimestralmente.

Em 2021, o orçamento base do PART foi de 198,6 milhões de euros, mas o Fundo Ambiental ficou autorizado a transferir para as autoridades de transporte até mais 130 milhões de euros.

No relatório que acompanha a proposta de OE2022, o Governo, o terceiro chefiado por António Costa, sublinha que “a política de investimento e de atuação ao nível dos transportes e mobilidade urbana estará primordialmente assente” na “manutenção das políticas de apoio e promoção do transporte público coletivo, designadamente através” do PART e do Programa de Apoio à Densificação e Reforço da Oferta de Transporte (PROTransP).

O PROTransP vai contar este ano com um orçamento de 15,5 milhões de euros, um aumento de 500 mil euros em relação ao OE2021.

O PART, criado em abril de 2019, é um programa de financiamento das autoridades de transporte para a implementação e desenvolvimento de medidas de apoio à redução tarifária nos sistemas de transporte público coletivo de passageiros, visando reduzir a fatura das famílias com a mobilidade, bem como aumentar a oferta de serviço e a expansão da rede.

O PART permite, segundo a opção da cada Comunidade Intermunicipal, uma redução do preço dos passes, a criação de passes família e a gratuitidade do transporte para menores de 12 anos.

Já o programa PROTransP, criado pelo Governo em 2020, privilegia “as zonas onde a penetração destes modos de transportes é mais reduzida e onde o potencial de ganhos de procura ao automóvel é superior, contribuindo assim para a promoção do transporte público coletivo, indução de padrões de mobilidade mais sustentáveis e descarbonização da mobilidade”.

O PROTransP tem como propósito aumentar a oferta de transporte coletivo nas comunidades intermunicipais e nos territórios de baixa densidade.

Lisboa, 13 abr 2022 (Lusa) – RadioOsLatinos33